Cabec-basico-vazado.jpg b-quem_somos.jpg b-filosofia.jpg b-treinamento.jpg b-escolaridade.jpg b-produtos.jpg b-aconteceu.jpg b-inclusao.jpg b-colabore.jpg b-fale.jpg cb-7-Rafael-Tecelagem.gif

Inclusão Responsável

Quando incluir e quando ainda não!

Aviso: versões nem sempre exatas.
Porque Ter Uma Oficina Abrigada?
Inclusão Responsável
Porque ter uma: Oficina Abrigada de Trabalho?
Porque essas pessoas têm o direito de receber o atendimento adequado que lhes permita sentirem-se felizes e realizadas ao ver o resultado concreto de seu esforço e a superação de suas limitações, trabalhando em ambiente monitorado por profissionais capacitados e especializados.
Na Alternativa os artesãos desenvolvem atividades profissionais muito variadas - determinadas pelo tipo de contribuição que podem oferecer no contexto do planejamento pedagógico – produzindo uma variedade muito grande de objetos utilizando técnicas de diversos tipos, sempre com orientação personalizada.
Na marcenaria produzem, por exemplo, móveis e objetos de decoração e ainda estruturas e peças básica para outras oficinas, como cachepots e bancos de tecelagem, porta revistas em macramê, lixeiras e pastas de couro, luminárias em mosaico de vidro, bandejas com mosaico de madeira e louça; decorando peças com desenhos e pirogravura.
Nestas outras oficinas pintam papel, cerâmica e madeira, fazem bordados e estamparia em tecidos, prensagem de flores e folhas, bijuterias, etc.
Cada atividade proposta tem seus objetivos bem definidos. Para conhecer mais consulte "Treinamento", onde se descreve com mais detalhes o que é exercitado através dessas atividades.
Veja também a relação de "Produtos da Oficina" para constatar a enorme variedade de peças produzidas pelos artesãos, sempre com excelente qualidade.
Um ponto muito importante é que eles também participam da etapa final do processo de produção que é a exposição dos produtos, o atendimento dos clientes e a venda das peças.
O principal objetivo é o desenvolvimento integral das pessoas atendidas; por isso são oferecidas ainda atividades como:
escolaridade, que é planejada de forma individual respeitando as possibilidades de cada um e os ritmos pessoais;
computação com os mesmos cuidados, observando interesses e habilidades em áreas como desenho, pesquisa, etc.
e outras como o teatro espontâneo, a música e a TECA - Terapia de Expressão Corporal e Artística,
complementadas com a participação em eventos, visitas monitoradas, apresentação e vendas dos produtos na lojinha da Alternativa e o estímulo à interação social em todas as oportunidades
Cinema
Exposição - Inst. Tomie Otake
Sala São Paulo
Atividade de Vendas
topo.gif
Inclusão com responsabilidade
A Alternativa defende o direito das pessoas portadoras de deficiência de terem acesso a todos os recursos sociais existentes e se tornarem membros produtivos da comunidade.
Assim, paralelamente ao trabalho nas oficinas, a Alternativa está sempre atenta à possibilidade de inclusão de seus usuários nas situações comuns de trabalho e vivência social, fazendo os encaminhamentos que considera adequados, bem como o acompanhamento dos egressos das oficinas.
Os artesãos que, graças ao trabalho acima descrito, são considerados pela Alternativa como prontos para o trabalho sob os pontos de vista laboral e também comportamental, quando encaminhados para empresas têm sido elogiados explicitamente pelos novos supervisores por suas atitudes, sua seriedade e competência.
A inclusão somente pode ser considerada responsável, na medida em que a pessoa esteja devidamente preparada para a realização plena do trabalho, não apenas do ponto de vista operacional mas também comportamental, aspecto igualmente indispensável ao sucesso e, muitas vezes, minimizado pela tentativa de inclusão indiscriminada.
A par daqueles treináveis, a prática de dezenas de anos tem mostrado que muitos, devido a suas limitações, têm pequenas possibilidades de encontrar uma colocação no mercado competitivo permanecendo nas oficinas abrigadas, trabalhando e produzindo peças artesanais de excelente qualidade, com um inquestionável sentimento de felicidade e realização.
As limitações referidas se aplicam à maioria das pessoas atendidas pela Alternativa também no que tange à escolaridade. Muitas não têm condições de avanços significativos no campo da leitura/escrita e das operações básicas da aritmética. Assim, considerando ainda o fator idade, a inclusão em escolas regulares, além de ser uma tentativa sem perspectivas de sucesso, é uma ação desrespeitosa para com essas pessoas, pois entre suas limitações não se incluem a falta de percepção das desigualdades e nem de sentimentos.
O conceito de inclusão, entretanto, é muito mais amplo já que a inclusão social é uma forma muito importante e de exercício permanente.
Na Alternativa os artesãos são estimulados a participar das situações de venda de sua produção, ponto culminante do processo de produzir, atendendo clientes que visitam a Alternativa, participando de bazares, etc., por ser uma interessante oportunidade de interação com a comunidade que, por sinal, responde muito bem a esse relacionamento havendo já clientes fixos para os produtos.
As caminhadas pelo bairro, o exercício do uso dos recursos da comunidade, a participação em atividades culturais e eventos sociais são outras oportunidades de integração social promovidas pela Alternativa.
topo.gif
Visita à Pinacoteca do Estado
Visita ao Palácio dos